261 - ALMA ANSIOSA



Só vejo trevas e furor,
Da tempestade o furação;
Só vejo, cheio de pavor,
Perigo, morte, assolação.

Aflito, estou a procurar,
Para minha alma um Salvador;
Corrido tenho terra e mar,
Nenhum achei eu de valor.

Meus olhos elevei ao céu,
Clamei aos anjos com ardor;
Da lei eu, um maldito réu,
Pedi perdão pra o pecador.

Resposta em coro pude ouvir:
'Perdão pra ti aqui não há;
Só Cristo pode te remir,
E salvação só ele dá.'

Ao pé da cruz estou, Senhor!
Contrito, rogo a ti perdão;
E, por teu sangue remidor,
Eu peço minha salvação.