109 - POR POUCO TEMPO

Anseio a paz, que qual um rio corre,
E no deserto faz brotar a flor;
Anseio a fé que, neste pouco tempo,
Descansa no bendito Salvador.

Há pouco tempo pra velar, orando,
E contra o inimigo batalhar;
Há pouco tempo para aqui, chorando,
Lançar semente, pra depois ceifar.

Por pouco tempo, as lâmpadas zelando,
Devemos, bem despertos, esperar;
Assim, pois, pressuroso o noivo vindo,
Com Ele nós iremos pra seu lar.